Nesse contexto, os vários suportes teóricos relacionados tanto com a Cultura em geral e de forma particular com a Cultura Popular, quanto aqueles construídos para o fortalecimento da Folkcomunicação, enriquecem as nossas reflexões a respeito dos festejos juninos e de outras manifestações populares em permanente processo de reinvenção no âmbito de uma sociedade midiatizada.

marinês do xaxado

O seminário em pauta, portanto, continua recorrendo a múltiplas vertentes teóricas e as várias áreas do conhecimento sem preconceito e sem discriminação com o saber plural e interdisciplinar do mundo acadêmico, através dos seus pesquisadores, dos produtores do conhecimento científico, na tentativa de ampliar as possibilidades interpretativas para uma melhor compreensão de todas essas questões que inspiraram o nascimento do evento em pauta.

Recorre também aos jornalistas, produtores de rádio e de TV e de tantos outros mediadores desses espaços midiáticos que registram, analisam e interpretam tais fenômenos culturais no calor da imediaticidade que a própria profissão determina, chegando a inferências e a diagnósticos bem precisos muito antes do saber/ olhar acadêmico.

Busca também a avaliação dos artistas de todas as tendências porque eles sentem, pensam e vivem essas transformações em um cenário multimídia marcado pela mercantilização dos seus produtos. Não esquece, enfim, da percepção do público consumidor, destinatário/ alvo maior de todas as reinvenções, negociações e ressignificações possíveis fomentadas pelas festas populares nordestinas, incluindo os festejos juninos, é claro, na sociedade midiatizada.

Mais informações no site http://www.uepb.edu.br/folkcom/

Artigos relacionados:

Compartilhe isso:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *